44 Quem Salvará o Capitalismo dos Capitalistas?

O Administrador Socialmente Responsável e o Capitalismo Democrático

A ideia de Alan Greenspan e de muitos neoliberais de que o mercado se autorregula, não se concretizou.

A ideia de que o Banco Central, o FED, do poder regulador de alguns economistas esclarecidos no comando da Economia, o SEC, a Sarbanes-Oxley, as leis e os regulamentos que já controlavam o capitalismo dos capitalistas há algum tempo, também não funcionaram.

O problema do mundo é que o Capitalismo já estava sendo “salvo”, mas pelas pessoas erradas.

Se não são os políticos, os acadêmicos, os intelectuais, os bispos, a religião, a ética, a filosofia que irão salvar o capitalismo dos capitalistas, quem será?

Uma das grandes descobertas da Ciência da Administração foi que controlar o produto depois de produzido não funciona.

Testar produto por produto para saber se ele está dentro do 1% permitido de margem de segurança, dentro dos regulamentos, e punir os funcionários faltosos, não funciona.

Mais ou menos, é este o modelo que se discute agora para salvar o capitalismo.

Desde 1980 estudiosos em Administração perceberam que a solução era focar nos insumos e não no produto final.

A teoria é simples. Os insumos e os processos sendo de qualidade, o produto também o será.

Hoje nas empresas, nem testamos mais os produtos que saem de linha. Sequer ligamos o motor.

Este é o caminho para resolver a crise do capitalismo.

Avaliar, selecionar melhor os insumos bem como os processos, e não os resultados.

Físicos e Economistas que nunca estudaram Ética nos Negócios, que nunca aprenderam Administração Creditícia, nunca poderiam ter sido promovidos aos cargos nos Bancos como foram.

Estes jovens sequer tinham uma reputação a perder, algo que ocorre com Médicos e Administradores que pisam na bola.

Quando estes acadêmicos erram, simplesmente voltam para suas escolas de Chicago e Yale, de onde nunca deveriam ter saído.

O compromisso deles era exclusivamente com a Física e a Matemática, e com os bônus prometidos.

Precisamos escolher corretamente os insumos.

Uma lei ficha limpa precisa existir não somente para políticos, mas para administradores de empresas de capital aberto, especialmente bancos.

E o primeiro item é saber se foi formado em Administração Bancária antes de entregar 1 bilhão para estes malucos administrarem.

Por isto, tenho batido na mesma tecla há 34 anos desde quando escrevia na Revista Exame, a primeira revista de negócios do Brasil.

“O único que poderá salvar o capitalismo dos capitalistas é o Administrador Socialmente Responsável, treinado, educado, conscientizado, selecionado, almejado e valorizado pela sociedade, para executar exatamente esta função.”

Para quem não acompanha esta tese, Administradores Socialmente Responsáveis são aqueles que se preocupam com os Stakeholders, e não somente os Stockholders, inglês para capitalistas.

Stakeholders são todos aqueles que têm um compromisso com as empresas, que vai desde os trabalhadores, fornecedores, colaboradores, que tal qual os capitalistas também “investem” na empresa.

Para o desespero das escolas de Chicago, ficou evidenciado que Administradores Socialmente Responsáveis não maximizavam o lucro do acionista. Pecado mortal.

De fato, damos aumentos aos funcionários para mantê-los fiéis, trocamos produtos defeituosos sem fazer perguntas ao cliente, mantemos os acionistas felizes com dividendos mínimos, mas crescentes.

De fato não almejamos o lucro máximo, porque acreditamos que o lucro máximo não é autossustentável, tese que se confirmou com esta crise.

Para minar este movimento da Administração, a Escola de Chicago inventou o “bônus”, o Stock Option, para alinhar novamente o administrador profissional com o capitalista e maximizar o lucro trimestral. Que deu no que deu.

Não existe esta tal mão invisível do mercado pregada pelos economistas e os neoliberais.

Nem tampouco existe esta mão visível do Estado que provou ser ágil e capaz de resolver a crise do capitalismo, mas somente depois que ela ocorreu.

Quem pode salvar o capitalismo dos capitalistas é o movimento da Administração Socialmente Responsável, que prevaleceu até os anos 80.

Se você é um jovem desiludido com o Capitalismo de Mercado e com o Capitalismo de Estado, não se preocupe, existe uma luz no final do túnel.

Se você não acredita mais no poder do mercado regulador, nem nos regulamentos elaborados pelo Estado, existe uma solução.

Se você sente que o mundo está à deriva, sem controle, um salve-se quem puder, existe uma salvação.

Ela dependerá de um movimento que envolverá dois milhões de profissionais, que estejam dispostos a serem treinados, que estejam dispostos a seguir uma linha ética e de conduta socialmente responsável.

Que estejam dispostos a seguir os valores compartilhados de uma profissão voltada não a defender os capitalistas, Wall Street e Washington, mas promover o bem-estar de todos que investem nas empresas em que colaboram.

Isto já foi feito em outros países há mais de 100 anos.

Agora só depende de você, Administrador Socialmente Responsável.

License

Icon for the Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License

A Missão do Administrador by Stephen Kanitz is licensed under a Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License, except where otherwise noted.

Feedback/Errata

2 Responses to Quem Salvará o Capitalismo dos Capitalistas?

  1. Dan Reznik on 5 de julho de 2014 at 20:52 says:

    Professor — se o Sr tivesse ido fazer o MBA em Chicago tb pensaria deste jeito? Isto é, quao da sua opiniao é regida pela doutrinação que recebeu em Harvard (vs Chicago); por exemplo, o Prof Milton Friedman tem um large following em esferas progressistas no Brasil. Nao saberia dizer se ele era tao naive em acreditar nas teses de 300 anos atras do Adam Smith. Tem varios pontos em comum com o Sr, como ética, experiência, competição entre empresas, minimização do governo, etc.

  2. Bruno Rogers on 25 de julho de 2014 at 20:27 says:

    Ninguém precisa salvar o capitalismo. O autor apresentou a intervenção na economia em todos os exemplos que deu e a culpa ficou com o livre mercado. LIVRE mercado é como o próprio nome já define. E a escola monetarista de Chicago não fala em nome do livre mercado, mas sim a Escola Austríaca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *