27 Administradores ou Revolucionários?

Melhorias Constantes Funcionam Mais do Que Uma Única Revolução

Por que alguém se tornaria guerrilheiro ou guerrilheira se sua intenção é melhorar o mundo?

Por que alguém lutaria para mudar tudo que está aí causando uma enorme confusão, pelo menos inicial?

Por que temos tantos acadêmicos, sociólogos, economistas, cientistas políticos que sonham com um mundo melhor, mas pregam o uso da violência, da luta armada, para chegar ao futuro que imaginam?

E por que acabam a maioria no fim da vida frustados e mal-humorados?

Revolucionários normalmente são pessoas com reduzido conhecimento administrativo.

Lidam mal com pessoas, são tímidos, têm dificuldade de controlar a sua raiva, são mandões por excelência. Como não sabem lidar bem com o presente, vivem mais num futuro utópico.

Administradores raramente são revolucionários.

Nenhum administrador famoso foi guerrilheiro na juventude, apesar de discordar de muita coisa e também querer melhorar o mundo.

Administradores conseguem melhorias pequenas, mas constantemente. Conseguem rapidamente colocar o que acreditam em prática. De pequeno em pequeno resultado vão longe.

Administradores acreditam que se o presente for corretamente administrado, o futuro se desenrolará melhor do que se imagina.

A maioria das experiências utópicas que foram implantadas, sejam comunitárias ou políticas, fracassaram por má administração. Veja Cuba, Coreia do Norte, União Soviética e o governo Dilma.

Pena que os movimentos de esquerda nunca perceberam isto, nunca se associaram com administradores, especialmente os socialmente responsáveis.

Esta é uma tese complicada de provar num único artigo, mas vou dar um exemplo vindo da medicina.

Os melhores cirurgiões são aqueles que fazem a mesmíssima cirurgia todo dia, com a mesmíssima equipe, uma repetição de dar dó.

Mas devido a estas repetições, eles conhecem instintivamente os 450 procedimentos que precisam ser corretamente executados numa cirurgia de tórax, por exemplo.

Não ficam nervosos ou preocupados com cada uma das etapas, sabem administrar a cirurgia perfeitamente.

Isto permite que o cérebro pense em outras coisas. A cirurgia em questão tiram de letra.

Uma das coisas em que eles pensam é justamente no futuro.

Pensam no que pode dar errado na próxima etapa da cirurgia, se antecipam mentalmente. Percebem as diferenças particulares daquele paciente, e onde devem tomar mais cuidado do que o usual.

Vou pedir já um cateter extra, neste caso poderei precisar dele numa emergência.

Por isto acreditamos que com uma administração correta do presente, o futuro será positivo sem necessidade de revoluções.

Quem está atolado com problemas no presente não tem tempo para pensar no futuro. Muito menos planejar o passo seguinte. Bons cozinheiros sabem disto, engenheiros idem.

O problema do Brasil é que nossos partidos de esquerda e os que sobraram de direita, ouvem todo mundo, menos os administradores, e que muitos por ideologia odeiam.

E as boas intenções dos revolucionários de esquerda viram esta bagunça que aí está. Como ocorreu na União Soviética, China, Cuba, Bolívia e Venezuela.

E continuará por mais 20 anos. Até hoje a Rússia não desenvolveu escolas de Administração.

Não existe um livro de administração escrito por um russo sobre como administrar enormes empresas, que foi a especialidade da Rússia de 1917 até 1980. Agora, eles teriam sido grandes consultores de megaempresas do Ocidente, mas administradores sequer existiam.

Países que dão certo precisam de administradores que inovem constantemente, e não de revolucionários que reviram tudo e depois se estagnam para sempre.

Contamos com você para convencer seus colegas revolucionários de que eles precisam de você.

License

Icon for the Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License

A Missão do Administrador by Stephen Kanitz is licensed under a Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License, except where otherwise noted.

Feedback/Errata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *