30 Administração Tem Que Ser Divertida

Empresas Onde Só o Dono se Diverte Já Eram

Por 25 anos analisei as 1.000 maiores empresas do Brasil, e muitos professores de administração me perguntam como eu classificaria as companhias brasileiras com base nessa experiência.

Daria um livro, mas resumindo em uma única página diria que existem cinco tipos de empresas no país.

A empresa Tipo A é aquela na qual somente o dono se diverte. A empresa familiar por excelência.

A empresa do Empresário.

Tudo gira em torno dele, tudo é feito do jeito dele.

Ele é o verdadeiro Deus de sua companhia e assim consegue implantar rapidamente sua visão do negócio.

É o “empresário bem-sucedido” que aparece em capa de revistas, invariavelmente sozinho.

É o dono da verdade, de tudo e de todos.

Não preciso dizer que os demais integrantes dessas empresas não se divertem nem um pouco, não é esse o objetivo da empresa familiar.

A empresa Tipo B é aquela em que somente os filhos do dono se divertem.

O pai, com 75 anos, ainda a controla com mão-de-ferro, mas isso já não é tão fácil como antigamente.

Ele está ficando gagá e nunca quis fazer a transição de uma empresa familiar para uma profissional, contratando administradores, e muito menos entregar a companhia aos filhos.

Para manter-se no poder e deixar seus filhos já com 40 anos felizes, comprou-lhes iates e BMWs e deu-lhes cargos no conselho para fazer absolutamente nada.

Não conseguindo salário compatível em nenhuma outra empresa por serem incompetentes, estes  filhos se tornam resignados e se deleitam fazendo cruzeiros mundo afora.

No fundo, são os únicos que se divertem. O empresário gagá já não.

A empresa Tipo C é aquela onde ninguém mais se diverte.

O pai finalmente morreu sem deixar uma equipe de administradores profissionais.

E a empresa vai de mal a pior.

Os filhos chamados às pressas do iate no Caribe começam a brigar entre si sobre as questões administrativas a serem tomadas.

Óbvio, porque  só entendem de iates e BMWs.

E aí nossa elite empresarial não entende por que todos os empregados, trabalhadores e sindicalistas de empresas A, B e C são de esquerda e por que temos tantos intelectuais e professores de filosofia marxistas querendo acabar com tudo isso que está aí.

A empresa Tipo D é aquela na qual todo mundo se diverte.

Ela não tem um único dono, é uma associação coletiva de pequenos acionistas, a maioria formada de trabalhadores da própria empresa, fundos de pensão de trabalhadores, da classe média, de médicos e engenheiros, poupando para a aposentadoria, para não depender do salário dos filhos.

São as empresas de capital democrático, em que não há ações sem direito a voto, onde todos votam, como essas companhias listadas no novo mercado transacionadas todo dia na Bovespa.

São administradas por administradores testados, escolhidos pela sua competência no setor.

Empresas tipo D são a concretização moderna do sonho de Karl Marx, nas quais trabalhadores e consumidores são acionistas diretos das empresas em que trabalham ou compram, detendo assim os meios de produção.

O mundo marxista que quer os meios de produção estatizados na mão de brilhantes economistas, não é marxismo e sim fascismo.

Normalmente, o presidente dessas empresas é um administrador profissional, funcionário demissível a qualquer momento, como todos os outros.

Nada de cargo vitalício como nas empresas dos tipos A, B e C nem indicações por apadrinhamento político como nas empresas Tipo G, G de governo.

O presidente dessas companhias é escolhido pela competência administrativa, e não pelo parentesco familiar ou loteamento político.

Como esse administrador depende da cooperação de todos para manter-se no poder, a opinião geral é ouvida, todo mundo faz parte da solução, ele acredita no trabalho de equipe.

As ideias de todos são desejadas e levadas a sério.

Nessas empresas, o presidente não destrata nem desrespeita os subordinados, jamais berra em público, não é o dono da verdade, caso contrário não sobreviveria.

São empresas preocupadas com o social, e não somente com o bolso do acionista controlador, que nessas empresas nem existe.

O D é de Divertido, Diversificado e Democrático.

São empresas como a Google, Apple, Twitter.

São as empresas das listas “Melhores Companhias para Trabalhar no Brasil”, infelizmente muito raras devido à proliferação de empresas dos tipos A, B, C e G.

Mas empresas Tipo D estão sendo criadas todo dia.

Um outro mundo é possível, mais democrático, mais bem administrado, mais includente, mais socialmente responsável e muito mais divertido.

License

Icon for the Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License

A Missão do Administrador by Stephen Kanitz is licensed under a Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International License, except where otherwise noted.

Feedback/Errata

2 Responses to Administração Tem Que Ser Divertida

  1. Marisa Pignataro on 1 de julho de 2014 at 22:28 says:

    Também me diverti muito lendo seu livro e “dando pataco”. Bem democrático!

  2. Marisa Pignataro on 1 de julho de 2014 at 22:29 says:

    Digo, “dando pitaco”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *